Gostas de escrever? Gostavas de escrever para o Unimado? Envia email para [email protected] e conta-nos porque é que gostavas de fazer parte desta equipa.
critica-love-hard-um-romance-de-natal-que-entrega-o-que-promete

Crítica, Love Hard, um Romance de Natal que entrega o que promete

Diogo Fernandes, 7 de novembro de 2021 15:24

Love Hard é um filme de Natal já disponível na Netflix que entrega tudo aquilo que promete, destacando-se pela a sua história original.

Na sinopse lemos "Uma rapariga de Los Angeles, azarada no amor, apaixona-se por um rapaz da Costa Leste através de uma aplicação de encontros e decide surpreendê-lo no Natal, só para descobrir que foi enganada no aspeto. No entanto, a pessoa com quem na realidade "deu match", vive na mesma cidade. Tudo isto vai dar numa aventura de natal muito engraçada e para toda a família! Não percas.".

A Crítica de Love Hard

O filme de natal Love Hard foi uma ótima decisão para ver sábado á noite, uma decisão que recai muito pelo meu gosto por aqueles típicos de filmes românticos de natal, em que no fundo a história é sempre a mesma, mas que mesmo ao longo de todos estes anos me continuam a aquecer o coração. Admito que estes podem não ser os melhores filmes para o cinema, pois o seu fracasso nos dias de hoje seria quase certo. Ainda assim, o meu gosto pessoal continua.

Assim, fico feliz por termos plataformas como a Netflix e Disney+ nos continuarem a entregar histórias do género, que no fundo continuam a atrair mais um monte de pessoas como eu.

Em relação à história do filme, acho que o seu ponto de diferenciação é o suficiente para cativar o espetador, pois mostra um ponto de vista nunca antes visto. A reviravolta no final achei impressionante para o filme em questão, que já explico mais à frente.

O filme começa por nos apresentar Natalie Bauer (Nina Dobrev), uma rapariga muito azarada no amor, pois acaba por escolher sempre os piores rapazes. Quando um dia conhece um rapaz online, Josh Lin (Jimmy O. Yang), que após muitas horas de conversa, começa a parecer "o tal", acaba a viajar até ao outro lado do país para passar o Natal com ele. No entanto, quando lá chega e bate à porta, acaba por descobrir que foi "catfished", com a aparência de Josh a não ser a mesma que aparecia na plataforma de encontros. Nessa noite, Natalie sai à noite e descobre que a pessoa com essa aparência de facto existe naquela cidade. Neste momento faz um acordo com Josh, para que este a possa ajudar a conquistá-lo. Agora aqui é que se início a maior hipocrisia da história, que por momentos pensei que não chegasse a ser abordada, e passa-se por impune. Falo de que quando Natalie acaba por conhecer o rapaz que realmente viu nas fotos, começa a descobrir que este nada tem a ver consigo, sendo que começa a fingir gostar de coisas que na realidade não gosta, como é o caso de dizer que agora fazer escalada. Ao longo do filme, chega a um ponto em que ela pretende ser mais um monte de coisas apenas para conquistar o rapaz, que digo agora que se chama Tag. Já conseguiste descobrir a hipocrisia? Bem, vamos lá ver então ;p . Quando Natalie descobre que foi "catfished", critica Josh por ter demonstrado ser algo que não era apenas para a conquistar. No entanto, ela acaba a fazer exatamente o mesma com Tag, que na minha opinião é pior, já que neste caso está a mudar toda a sua personalidade, e tudo aquilo em que acredita. Porque pensando bem, Josh nunca lhe mentiu acerca da sua personalidade, tendo sempre mostrado quem realmente é.

Antes do final do filme tudo acaba por vir ao de cima, e Natalie acaba por concluir e refletir sobre tudo o que fez, e que na verdade não foi melhor Josh.

Desta história, dá para tirar uma boa lição de moral, que é que às vezes a aparência física conta tanto ou mais que qualquer outra no que diz respeito a conhecer a alguém. Muitas vezes esta decisão acaba por nos limitar de conhecer alguém que até poderia ser bom para nós, mas que colocamos logo de lado pela sua aparência. Mesmo que a história deste filme seja diferente, a base é mesma. Isto, porque Josh é definitivamente menos atrativo que Tag.

Voltando ao assunto principal, o romance de natal! Love Hard acaba por ser um bom filme natalício, com cenários da época maravilhosos, cheios de luzes e muitos adereços. Estas decorações fazem-me ansiar por que chegue o mês de dezembro para que possa decorar a minha casa e encha-la de magia, no que é uma das melhores épocas do ano na minha opinião.

Os personagens que vemos ao longo do filme não foram nada demais, onde achei que por exemplo, Tag (Darren Barnet), ficou aquém do potencial que o papel exigia. Acho que lhe faltou expressividade na representação. De forma geral, senti uma falta de experiência em quase todo o elenco, mas bem, isto pode ter sido  apenas a minha opinião.

A escolha do nome "Love Hard", é algo que não poderia deixar de comentar. Caso tenhas visto o filme, e ainda não tenhas associado a sua escolha, passo a explicar. Este junta os nomes dos filmes de natal favoritos dos nossos protagonistas. No caso de Josh Lin, o seu filme de natal favorito é "Love" Actually, já que para Natalie Bauer, a sua escolha, é nada mais nada menos que Die "Hard". Uma escolha bastante peculiar, mas que digamos que até é bem justificada.

Love Hard é assim um filme de Natal que só posso aconselhar todos a verem, no que acho ideal para ver em família, no que será um ótimo serão passado entre os mais próximos. Ah e não esquecer de levar pipocas!

Não percas, já disponível na Netflix.


Não te esqueças de deixares um gosto nas nossas páginas das redes sociais e ficar a par de todas as novidades em primeira mão. Estamos presentes no Facebook , Instagram , e ainda no Google Notícias.

Natal Netflix Crítica

Entra na tua conta para poderes comentar e ganhar pontos, Clica aqui.