-

Sarah Polley pode vir a dirigir filme Live-Action de "Bambi"

Diogo Fernandes, 13 de junho de 2023 21:58

Após vencer o Óscar de Melhor Argumento Adaptado por A Voz das Mulheres, Sarah Polley está a preparar-se para o maior desafio da sua carreira cinematográfica até agora. Segundo o Deadline, a cineasta está em negociações para dirigir uma adaptação de Bambi em live-action, ainda numa fase muito inicial de desenvolvimento na Disney.

Várias fontes disseram ao Deadline que o projeto será um musical com música da estrela country vencedora de seis Grammys, Kacey Musgraves. Micah Fitzerman-Blue e Noah Harpster (Transparent) escreveram a versão mais recente do argumento, e Chris e Paul Weitz's Depth of Field irão produzir.

O estúdio sinalizou a sua intenção de adaptar Bambi em live-action no início de 2020, contratando Geneva Robertson-Dworet e Lindsey Beer como argumentistas e Depth of Field como produtor em janeiro desse ano. Ainda não há informações sobre quando o projeto pode ser iniciado, dadas as condições imprevisíveis de greve, entre outros fatores.

O filme é, claro, a história de crescimento de Bambi, o jovem veado atingido pela tragédia, que conta entre os seus amigos da floresta o coelho Thumper e um gambá chamado Flower. Uma adaptação do romance de Felix Salten de 1923, Bambi, a Life in the Woods.

Lançado pela RKO Radio Pictures em 1942, o Bambi original foi apenas o quinto longa-metragem animado da Disney. O filme, dirigido por David Hand e vários realizadores de sequências, arrecadou mais de 267 milhões de dólares em todo o mundo, recebeu nomeações para o Óscar de Melhor Som, Canção e Banda Sonora Original, e tem resistido como um clássico ao longo dos anos, continuando a traumatizar os jovens espectadores com a famosa cena da morte da mãe de Bambi até hoje.

O filme foi incluído no Registo Nacional de Filmes da Biblioteca do Congresso, dada a sua importância cultural, histórica e estética, em dezembro de 2011.

A versão de Polley de Bambi será a mais recente de uma longa lista de filmes live-action que adaptam os clássicos animados da Disney. A mais recente parcela desta série, que tem sido um enorme sucesso para o estúdio, é A Pequena Sereia (2023), dirigido por Rob Marshall, que arrecadou mais de 414 milhões de dólares até ao dia 13 de junho. Se o acordo de Polley para o projeto se concretizar, ela certamente estará em boa companhia, juntando-se a uma lista de diretores contratados pela Disney para estes filmes que inclui Jon Favreau, Kenneth Branagh, Niki Caro, Guy Ritchie, Tim Burton e Robert Zemeckis, para citar apenas alguns.

O aclamado drama de ensemble de Polley, A Voz das Mulheres, baseado no romance de Miriam Toews, inspirou-se na história real de 2010 de uma colónia Menonita boliviana para examinar a escolha impossível enfrentada pelas mulheres de uma comunidade religiosa isolada após vários incidentes de agressão sexual pelos homens que elas pensavam conhecer.

Polley dirigiu o filme a partir do seu próprio argumento, lançando-o pela United Artists Releasing após a sua estreia no outono em Telluride. O filme também lhe valeu os prémios Critics' Choice e WGA, uma nomeação para o Globo de Ouro e outros importantes elogios.

Ela começou a sua carreira como atriz, começando como criança em filmes como The Adventures of Baron Munchausen antes de protagonizar em títulos como O Renascer dos Mortos.