Publicidade

Onde estão os jovens Rudolf e Hedwig Höss hoje?

Onde estão os jovens Rudolf e Hedwig Höss hoje?

O filme de drama histórico de Jonathan Glazer, A Zona de Interesse, abre uma janela para a vida pessoal de Rudolf Höss, o comandante do campo de concentração de Auschwitz, e a sua esposa Hedwig Höss. 

O casal reside com os seus cinco filhos numa espaçosa casa junto ao campo de concentração. As crianças desfrutam de momentos junto ao pai, participando de banhos no rio nas proximidades e brincando no jardim, carinhosamente cuidado pela mãe. Após o término da Segunda Guerra Mundial, a maioria dos filhos de Rudolf e Hedwig optou por trilhar caminhos independentes, seguindo rumos distintos nas suas vidas.

A história da família reflete não apenas os desafios do período pós-guerra, mas também a busca pela autonomia e individualidade dos filhos após uma experiênci

Klaus Höss Morreu na Austrália

Klaus Höss, nascido em fevereiro de 1930, o primogénito de Rudolf e Hedwig, escreveu a sua própria narrativa ao mudar-se para a Austrália nos anos 1960 com a sua esposa alemã, Lisolet (Lilo).

Apesar de enfrentarem desafios, a lenda familiar sugere que a família Höss mobilizou meio milhão de marcos alemães para assegurar a sua emigração, apontando para uma possível ligação com a antiga rede nazista que ainda cercava Hedwig. A mudança para Sydney marcou o início de uma nova fase, mas as dificuldades financeiras persistiram, já que Hedwig, como viúva de um criminoso de guerra, não obteve pensão.

Klaus, apesar de trabalhar como assistente de químico, encontrou estabilidade como especialista em logística de bagagens em companhias aéreas. A sua vida na Austrália foi marcada por um divórcio posterior, mas ele foi lembrado como um pai amoroso, em contraste com o seu próprio pai, Hans-Jürgen.

Klaus faleceu em 1986, aos 55 ou 56 anos, de cirrose hepática, resultado do abuso crónico de álcool, deixando um legado complexo para Lilo, Christine, e os membros da família que o sobreviveram.

Heidetraut Höß Morreu de Cancro

A filha mais velha de Rudolf e Hedwig, Heidetraut, permaneceu fora dos holofotes por algum tempo, vivendo discretamente no norte da Alemanha enquanto lidava com demência. Rainer, em entrevista ao Exberliner, revelou que Heidetraut faleceu de cancro "há alguns anos atrás", conforme mencionado numa entrevista de 2020 ao Israel Hayom.

Ela enfrentou o peso de ser filha de um nazista, e Rainer observou como essa doutrinação afetou diversos membros da família, incluindo o seu pai Hans-Jürgen e a tia Inge-Brigitt.

No entanto, destacou que a filha mais nova, Annegret, parecia menos afetada por esse fardo. O legado de Heidetraut reflete as complexidades enfrentadas pelos descendentes de figuras ligadas ao regime nazista.

Inge-Brigitt Höß Vive no Norte da Virgínia

Nos anos 1950, Inge-Brigitt Höß, também conhecida como Brigitte, embarcou numa jornada que a levou da Alemanha para a Espanha, onde se destacou como modelo na casa de moda Balenciaga. A sua beleza, caracterizada por longos cabelos loiros e uma atitude destemida, a tornaram uma presença notável.

Em Madrid, conheceu um engenheiro americano-irlandês, com quem se casou em 1961, dando à luz uma filha e um filho. O casal viajou extensivamente devido ao trabalho do marido em comunicações, explorando países como Libéria, Grécia, Irão e Vietname.

Brigitte compartilhou a história familiar com o seu marido, que a aceitou compreendendo a sua condição de vítima. Fixaram-se em Washington em 1972, construindo uma vida e adquirindo uma casa em Georgetown. Brigitte trabalhou por 35 anos num salão de moda de uma mulher judia.

A mãe de Brigitte, Hedwig, tornou-se presença regular na sua casa até falecer em setembro de 1989. Após o divórcio em 1983, Brigitte manteve o sobrenome do ex-marido por razões de segurança, vivendo discretamente numa rua arborizada no norte da Virgínia desde então. Diagnosticada com câncer, ela enfrentou os desafios médicos da doença após a sua aposentadoria.

O seu filho permanece ao seu lado, enquanto a filha já faleceu, e Brigitte mantém a discrição para preservar a sua segurança diante de um passado complexo e potencialmente perigoso.

Hans-Jürgen Höß é Membro das Testemunhas de Jeová

Hans-Jürgen Höß, após a sua formação como comerciante grossista, tornou-se gerente de vendas numa concessionária Volvo em Estugarda. Casado com Irene, o casal teve dois filhos, incluindo Rainer, que o descreveu como um pai autoritário e antissemita, marcando a infância com falta de carinho e calor. Em 1981, o casamento chegou ao fim quando Irene, suspeitando de traição, o esfaqueou.

Sobrevivendo ao ataque, Hans mudou-se para o Mar Báltico com Marlies, sua nova companheira.

O seu paradeiro permaneceu desconhecido para os filhos até que, após 36 anos, ele entrou em contato com Kai Höß, um pastor em Estugarda. Hans, agora membro das Testemunhas de Jeová, revelou o seu vínculo com a fé após um grupo visitar a sua casa e oferecer amor. Essa mudança foi um "salvamento" para ele, segundo Rainer, após o seu segundo divórcio, quando a família cortou os laços devido à sua associação religiosa.

Hoje, ele participa ativamente nas reuniões da congregação usando um tablet, destacando como a sua jornada espiritual transformou significativamente a sua vida e relações familiares.

Annegret Höß Vive na Alemanha

Annegret, a filha mais jovem de Rudolf e Hedwig, optou por uma vida longe dos holofotes. Atualmente, reside com a sua família em Fulda, Alemanha, mantendo um perfil discreto. Anualmente, viaja para a Flórida para encontrar a sua irmã mais velha, embora evitem discutir o passado.

Rainer, filho de Hans, revelou que Annegret cortou os laços com o pai após ele tornar-se membro das Testemunhas de Jeová. "A minha tia Annegret e a sua família são católicos devotos, e expulsaram-no da família", acrescentou Rainer ao Israel Hayom.

Annegret parece escolher a privacidade e manter a fé católica, enquanto as complexidades do passado continuam a influenciar as dinâmicas familiares.

Via The Cinemaholic.




Escolha uma plataforma de Streaming e encontra as estreias, lançamentos e notícias: