critica-a-banca-dos-beijos-3-inesperado-e-com-fraca-historia

Crítica: A Banca dos Beijos 3, inesperado e com fraca história

Diogo Fernandes, 14 de agosto de 2021 17:41

A Banca dos Beijos 3, é um filme cheio de reviravoltas, drama e uma história que sabe a pouco. Decidi ver esta produção da Netflix com expetativas altas e acabei por sair desiludido. Sem ser muito de me aperceber de problemas mais técnicos, sem grandes dificuldades encontrei problemas na direção das câmaras e de luz nos sets.

Mas vá, antes de dizer tudo o que penso sobre A Banca dos Beijos 3 vamos falar sobre a história. Lembro-me que quando descobri o primeiro filme no início de 2020, facilmente me encantei com a história, especialmente porque é 100% um filme de adolescentes e que fala de diversos problemas que os jovens passam no seu dia a dia. Aqui, é a história de Elle Evans (Joey King) que conhecemos e acompanhamos ao pormenor, seguindo os seus pensamentos e percebendo as suas frustrações.

Vamos à crítica de A Banca dos Beijos 3...

Quando no primeiro filme, o nome "Banca dos Beijos" fazia todo o sentido, neste filme não é bem o caso, já que ela nunca chega a ser o centro das atenções. Segundo a sinopse oficial, neste terceiro filme iriamos acompanhar Elle na sua escolha e ida para a universidade, uma decisão que se mostrou dificultada, quando descobre que entrou em duas universidades. Em Havard (Onde o seu namorado Noah Flynn (Jacob Elordi) estuda), e Berkley (Para onde o seu melhor amigo Lee Flynn (Joel Courtney) vai). Esta decisão e o seu adiar em decidir para onde ir mostram uma evolução em Elle, com um crescimento na sua frustração que quase a levam ao limite, e que a fazem perceber de algo, "Poderá a sua escolha estar a ser apenas baseada no que os outros esperam dela?". A partir daqui inicia-se todo uma história de drama, com muitos erros a serem cometidos e com um final que achei especialmente inesperado, visto que sempre que tentava prever na minha cabeça o que iria acontecer, aparecia uma reviravolta que mudava tudo.

Estas reviravoltas de que falo, achei que chegou a um ponto em que pareciam forçadas, em que não se consegue perceber bem o objetivo, já que poderíamos estar perante um filme de apenas 1h30 e que certamente conseguia entregar a mesma mensagem sem perda de qualquer cena relevante. E em conclusão deste tópico, acho que faria muito mais sentido este filme ter sido chamado de "A Banca dos Beijos 2: Parte 2", já que continua exatamente no momento em que o segundo filme acabava.

Fora de coisas que achei menos boas em A Banca dos Beijos 3, este é um filme que entrega exatamente aquilo que se espera em produções do género direcionados a jovens, e que tem alguns momentos que interessantes que gostei de ver, como Lee e Elle a completarem a sua lista de desafios antes de entrarem na universidade, que tirando todo o drama, acho que era de um momento assim que esperava, que me trouxe imensas memórias do primeiro filme.

O final da história, por mais que não tivesse sido o esperado, tenho a dizer que gostei! Não achei real, mas foi exatamente o que esperava e que deixou para aquecer o coração e acabar a trilogia da melhor forma.

A Banca dos Beijos 3 é um filme leve de se ver, ótimo para ver em família e que não nos obriga a pensar muito. Mesmo tendo feito algumas críticas um pouco mais duras ao filme, esta é uma saga que voltarei a ver no futuro. Isto porque é um estilo de filme que me agrada bastante.

Não percam já disponível na Netflix.


Não te esqueças de deixares um gosto nas nossas páginas das redes sociais e ficar a par de todas as novidades em primeira mão. Estamos presentes no Facebook , Instagram , e ainda no Google Notícias.

Netflix Crítica

Entra na tua conta para poderes comentar e ganhar pontos, Clica aqui.